CartaExpressa

‘Bolsonaro não deve se reeleger e o Lula deve ser presidente’, aposta Weintraub

Ex-ministro da Educação alega que o atual presidente irá perder pelo desempenho ruim da economia e por escândalos que ainda virão à tona

Foto: Agência Brasil Foto: Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Abraham Weintraub (PMB), ex-ministro da Educação de Jair Bolsonaro e pré-candidato ao governo de São Paulo, admitiu nesta quarta-feira 25 que a derrota do antigo chefe para Lula (PT) nas eleições deste ano é o ‘cenário mais provável’ neste momento.

Ex-aliado de primeira ordem do atual presidente, ele disse não confiar mais no ex-capitão e que a derrota será motivada pelo desempenho ruim na economia, além de novos escândalos políticos que ainda virão à tona.

“Eu diria que esse cenário é o mais provável hoje. Infelizmente, o presidente Bolsonaro não deve se reeleger, e o Lula deve ser presidente. Daqui até a eleição as coisas só vão piorar na parte econômica, e na parte política vão aparecer mais escândalos”, avaliou o ex-ministro em entrevista ao jornal O Globo.

Segundo contou, ele não irá fazer campanha para Bolsonaro porque o presidente não é mais digno de confiança. Na entrevista, questionado se Bolsonaro seria um ‘homem honesto’, Weintraub se esquivou.

“Não [vou fazer campanha para Bolsonaro], porque não confio mais, mas sempre vou votar contra o Lula. Não anulo voto”, disse sem deixar claro se irá apoiar o ex-capitão já no primeiro turno.

“Eu não acho que ele tenha pego nada para ele na física (materialmente). Mas isso só não basta. Ser honesto é diferente de ser conivente. Acho que ele está vendo os caras aprontarem, não é possível”, disse Weintraub ao ser questionado sobre a honestidade do antigo chefe.

Na conversa, Weintraub não deixa claro a quais escândalos se refere, nem mesmo quais integrantes do atual governo estariam ‘aprontando’ com a conivência do ex-capitão. A única pista deixada por ele é que os esquemas seriam feitos por integrantes do Centrão.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar