CartaExpressa,Política

Bolsonaro indica Aras para um novo mandato na PGR

Bolsonaro indica Aras para um novo mandato na PGR

Augusto Aras e Jair Bolsonaro. Foto: Isac Nóbrega/PR

Augusto Aras e Jair Bolsonaro. Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro informou nesta terça-feira 20, pelas redes sociais, que indicou ao Senado o atual procurador-geral da República, Augusto Aras, para um novo mandato de dois anos à frente do Ministério Público Federal.

Bolsonaro decidiu ignorar a lista tríplice enviada pelo MPF. A subprocuradora Luiza Frischeisen venceu a eleição interna com 647 votos, seguida por Mario Bonsaglia, que teve 636 votos, e por Nicolao Dino, com 587. Eles faziam oposição à postura de Aras em relação ao governo federal.

Ao escolher Aras, em setembro de 2019, o presidente já havia rompido com a tradição iniciada em 2003 de optar por integrantes sugeridos pelo próprio órgão. Naquela oportunidade,  o nome de Aras foi aprovado pelo Senado com 68 votos. Houve ainda 10 votos contrários e uma abstenção.

O procurador-geral será novamente sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Na sequência, caberá ao plenário aprovar ou não a recondução. Para que ele se mantenha no cargo, precisa de pelo menos 41 votos.

Aras nutria a expectativa de ser indicado por Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal para ocupar a cadeira de Marco Aurélio Mello, que se aposentou neste mês. O escolhido, porém, foi o advogado-geral da União, André Mendonça.

Minutos após o anúncio desta terça, Augusto Aras divulgou uma nota em que declarou se sentir “honrado com a recondução para o cargo de procurador-geral da República”. Ele também disse reafirmar seu “compromisso de bem e fielmente cumprir a Constituição e as Leis do País”.

 

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem