CartaExpressa,Política

Augusto Nunes tem R$ 30 mil penhorados para pagar indenização a Gleisi

Augusto Nunes tem R$ 30 mil penhorados para pagar indenização a Gleisi

Justiça penhorou valor para indenizar deputada e presidente do PT que foi ofendida em textos do jornalista

Fotos: Reprodução/Redes Sociais e Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Fotos: Reprodução/Redes Sociais e Cleia Viana/Câmara dos Deputados

A Justiça penhorou 30 mil reais das contas bancárias do jornalista  Augusto Nunes, da Joven Pan. O valor será usado para pagamento de indenização da presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann, por ter sido chamada por diversas vezes de ‘amante’ em textos de Nunes. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

O apresentador foi condenado em maio deste ano por textos publicados na revista Veja e em blog no portal R7, da Record. Nos portais, Nunes se referiu dezenas de vezes a Gleisi como ‘amante’, sempre “carregado de conteúdo misógino e sexista, puramente com o intuito de agredir a demandante”, de acordo com a decisão.

Os desembargadores que definiram a sentença entenderam que o bolsonarista “abusou do seu direito à liberdade de imprensa” quando usou o termo para denominar a parlamentar em publicações que sequer tinham o contexto da Operação Lava Jato, de onde Nunes tirou o termo.

O bolsonarista nunca se defendeu no processo e foi condenado à revelia. Na sentença, terá que, além de indenizar a deputada, publicar a condenação por pelo menos 30 dias em todos os veículos em que “as ofensas foram divulgadas”.

Intimidado diversas vezes a cumprir a sentença e indenizar a deputada, Nunes “permaneceu inerte”, o que motivou a penhora determinada pela Justiça. A defesa ainda cobra que a outra parte da decisão também seja cumprida de forma imediata.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem