CartaExpressa

Após tragédia em Capitólio, Parque de Ibitipoca suspende visitação a cavernas

A proibição se deve à ‘saturação do solo causada pelas chuvas de longo período, que podem aumentar o risco de queda e desplacamento de blocos rochosos’

Créditos: EBC
Créditos: EBC

O Parque Estadual de Ibitipoca, na zona da Mata de Minas Gerais, suspendeu as atividades de visitação às cavernas após o acidente em Capitólio, no sábado 8, que deixou 10 mortos depois de um pedaço de cânion se desprender e cair sobre lanchas que passavam pelo local.

A Secretaria do Meio Ambiente do estado não respondeu se a mudança no cronograma das atividades tem a ver diretamente com o episódio, mas afirmou ter se baseado na avaliação de espeleólogos (especialistas em cavernas) atuantes em Ibitipoca.

O governo estadual declarou que a proibição da visitação às cavernas foi motivada pela “saturação do solo causada pelas chuvas de longo período, que podem aumentar o risco de queda e desplacamento de blocos rochosos”. A retomada das atividades no espaço está condicionada a um período de estiagem de pelo menos 7 dias e avaliação das condições de placas e blocos de rochas.

A secretaria acrescentou que as cavernas estão recebendo sinalizações para garantir a segurança dos visitantes, já que o parque continua aberto. No próprio portal do parque, há orientações sobre os cuidados a serem observados quando os visitantes forem às cavernas. Entre os riscos, o texto destaca justamente os de “desplacamento e queda de blocos ou lâminas do teto ou das paredes da caverna”.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!