CartaExpressa

Anvisa decide nesta sexta sobre importação da Sputnik V

Liberação permitira a chegada de 95 milhões de doses ao Brasil

A vacina Sputnik V. Foto: Pavel Korolyov/AFP
A vacina Sputnik V. Foto: Pavel Korolyov/AFP
Apoie Siga-nos no

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária marcou para esta sexta-feira 4 uma nova reunião para decidir se autoriza a importação das vacinas Sputnik V, da Rússia, e Covaxin, da Índia.

A compra da Covaxin havia sido reprovada em reunião de 30 de março, e a da Sputnik V, em 26 de abril. Em ambos os casos, a Anvisa alegou que algumas exigências não haviam sido atendidas.

Caso a agência aprove a importação, estima-se que cerca de 95 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 estarão liberadas para chegar ao Brasil.

CartaCapital

CartaCapital Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.