CartaExpressa,Política

Allan dos Santos, Weintraub e outros bolsonaristas reclamam do Twitter após perderem seguidores

Allan dos Santos, Weintraub e outros bolsonaristas reclamam do Twitter após perderem seguidores

Allan dos Santos e Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/Redes Sociais

Allan dos Santos e Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/Redes Sociais

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro reclamam nesta segunda-feira 14 da perda de seguidores no Twitter. Um deles é o ex-assessor da Presidência Arthur Weintraub, que entrou na mira da CPI da Covid.

“Eu tinha quase 622.000 seguidores. Agora 609.000. Segunda vez que o Twitter proporciona esse tipo de demonstração de pluralidade. Plataforma bolivariana”, escreveu o irmão do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub.

O próprio Abraham postou reclamação semelhante: “Acabaram de me tirar 10 mil seguidores no Twitter”.

O deputado federal Carlos Jordy também criticou a rede social: “Algo muito estranho acaba de acontecer no meu Twitter. Até algumas horas atrás eu estava com 488 mil seguidores e, repentinamente, caiu para 475 mil. Twitter está retirando meus seguidores ou excluindo contas em massa?.

Filipe Martins, assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência denunciado na semana passada por racismo pelo MPF, escreveu que “conservadores [estão] mais uma vez perdendo milhares de seguidores no Twitter sem nenhuma explicação plausível”. Ele disse ter perdido 15 mil “em alguns minutos”.

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos e outros militantes bolsonaristas também expuseram suas reclamações. O Twitter se manifestou oficialmente sobre o episódio por meio de nota:

“Com o objetivo de proteger a integridade e a legitimidade de conversas em seu serviço, o Twitter regularmente solicita que contas com comportamentos suspeitos em todo o mundo confirmem detalhes como senha ou número de celular. Até que cumpram essa etapa de confirmação, as contas ficam temporariamente desabilitadas, com funcionalidades limitadas, e deixam de entrar no cálculo para contagem de seguidores. Isso significa que esse número pode oscilar quando fazemos essas checagens regulares globalmente”.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem