CartaExpressa

22% acreditam em fake news que ligam Bolsonaro a recuo de tropas russas, diz pesquisa

A notícia falsa foi incentivada pelo próprio presidente e por ministros

Foto: EVARISTO SA/AFP
Foto: EVARISTO SA/AFP
Apoie Siga-nos no

Levantamento conduzido pela Quaest para a CNN Brasil indica que 22% dos usuários que interagiram nas redes sociais sobre a viagem de Jair Bolsonaro à Rússia, nesta semana, acreditaram ou escreveram que ele foi responsável por um suposto recuo de tropas russas na fronteira com a Ucrânia.

A notícia falsa foi incentivada pelo próprio Bolsonaro. Um dia depois de o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles publicar a fake news – e depois recuar, sob a alegação de que se tratava de uma piada -, o ex-capitão declarou a jornalistas, em Moscou, na quarta-feira 16: “Mantivemos a nossa agenda e, coincidência ou não, parte das tropas deixou as fronteiras. Ao que tudo indica, a grande sinalização é que o caminho para a solução pacífica se apresenta no momento para Rússia e Ucrânia”.

Também na quarta 16, o ministro do Turismo, Gilson Machado, repetiu a insinuação: “O Brasil é um país historicamente conciliador. Sempre tivemos grandes exemplos de grandes diplomacias por outros presidentes, de problemas mundiais que conseguimos resolver. E foi um momento em que o presidente chegou lá e levou uma mensagem de paz para o presidente Putin. Graças a Deus, já foram retiradas as tropas e não se fala mais em guerra”.

À CNN Brasil, o cientista político e diretor da Quaest, Felipe Nunes, analisou a disseminação da notícia falsa na bolha bolsonarista.

“O percentual de pessoas comentando o assunto e que defendem essa ideia é similar ao percentual de avaliação positiva que o presidente tem hoje nas pesquisas de opinião publicadas atualmente. O que sugere que a mesma proporção de eleitores que gostam do governo é similar também à proporção de usuários que defendem o presidente na internet”, afirmou Nunes.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.