CartaExpressa

21 metralhadoras do Exército são furtadas na base militar em Barueri

Exército confirma o furto e diz que investiga o caso; equipamentos não estariam operando e precisariam de manutenção

Arsenal de guerra do Exército em Barueri (SP) foi furtado em outubro. Foto: Exército Brasileiro
Apoie Siga-nos no

21 metralhadores que pertencem ao Exército Brasileiro foram furtadas na base militar de Barueri, na Grande São Paulo. Ao site G1, que revelou o episódio, a Força confirma o sumiço dos equipamentos e diz que investiga o caso.

Segundo informou ao site, a corporação se deu conta do furto no último dia 10 de outubro, terça-feira, durante uma inspeção no seu arsenal de guerra. “Os militares notaram o sumiço de 13 metralhadoras calibre .50 e de outras 8 metralhadoras de calibre 7,62”, diz a publicação.

Os armamentos de calibre .50 são capazes de derrubar aeronaves. O Exército afirma, porém, que todas as 21 armas furtadas estão fora de operação e que precisariam passar por manutenção.

A Secretaria da Segurança Pública do estado de São Paulo, por sua vez, informou que o caso é investigado internamente pelo Exército, mas que estaria auxiliando nas buscas dos equipamentos. O Ministério da Defesa não comentou.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.