CartaCapital

assine e leia

GLO/ Atacado das drogas na mira

Forças Armadas iniciam patrulhamento de portos e aeroportos de SP e RJ

Desta vez, não haverá incursões militares em comunidades pobres – Imagem: Marinha do Brasil
Apoie Siga-nos no

Mais de 3,7 mil militares foram destacados para reforçar o patrulhamento de portos e aeroportos de São Paulo e do Rio de Janeiro a partir da segunda-feira 6, quando entrou em vigor um decreto de operação de Garantia da Lei e da Ordem assinado por Lula em 1º de novembro. Com poder de polícia, homens das Forças Armadas poderão realizar inspeções em aviões e navios, acompanhar a movimentação de cargas, revistar suspeitos e efetuar prisões em flagrante.

A operação estende-se até 3 de maio de 2024 e visa impedir o tráfico de drogas e armas, asfixiando financeiramente as organizações criminosas que atuam no País. Ao todo, 2 mil homens do Exército, 1,1 mil da Marinha e 600 da Aeronáutica reforçarão o policiamento dos portos de Itaguaí, Rio de Janeiro e Santos, e dos aeroportos internacionais do Galeão e de Guarulhos. Fora do escopo da GLO, as Forças Armadas também devem intensificar o monitoramento das fronteiras.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

10s