Colunas e blogs

Movimento de resistência iraquiana promete reação ao ataque dos EUA

Bombardeio norte-americano na fronteira da Síria com o Iraque no domingo 29 deixou 24 mortos e 51 feridos

Iraquianos fazem o funeral das vítimas do ataque americano contra bases da resistência islâmica no Iraque (Foto: Haidar HAMDANI / AFP)
Apoie Siga-nos no

No domingo 29, em meio às festas natalinas e a vinda do ano novo, drones americanos bombardearam posições do movimento de resistência islâmica no Iraque, o Kataeb Hizbullah, que é parte do movimento de unidade de mobilização popular iraquiana (Al Hashad al Shabi). Isso aconteceu na província de Al Anbar.

O islam ensina que só se deve reagir quando se é atacado e o Al Kataeb Hizbullah prometeu reagir ao ataque que sofreu.

O porta-voz do movimento Al Kataeb Hizbullah, Sayyed Yafar Al Hussaini, deu uma entrevista à TV libanesa e disse que todas as opções estão na mesa para responder a agressão estadunidense à fronteira da Síria com Iraque e à soberania nacional do Iraque, ataque este que deixou 24 mortos e 51 feridos.

Al Kataeb Hizbullah diz estar disposto a responder à altura a mais este ataque terrorista contra posições da resistência iraquiana. O governo iraquiano também repudiou os bombardeios que atentaram contra a segurança nacional.

Foram as forças de segurança da resistência iraquiana em Bagdá, que combateram os daeshs, mercenários matadores de muçulmanos na região.

Os Estados Unidos e Israel nunca se conformaram com esta derrota e a perda de força de seu plano de submeter os povos e roubarem mais petróleo da região e se apoiou muito nos taqfiris ou grupos mercenários na Síria e no Iraque.

A CIA e o Mosad formaram uma rede para liderar ataques violentos no Iraque e incriminar a resistência e buscar criar o caos e a guerra civil e tem como estratégia construir assim as condições necessárias que o imperialismo e o sionismo desejam para saquear o país.

O corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Iran emitiu esta segunda-feira 30 um comunicado que diz: “Naturalmente que a gente valente e as heroicas forças de Al Hashad Al Shabi, resistência popular do Iraque, tem o direito de tomar represália e revidar ao recente grande crime dos Estados Unidos, conforme as leis e convenções internacionais”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo