Augusto Diniz | Música brasileira

Jornalista há 25 anos, Augusto Diniz foi produtor musical e escreve sobre música desde 2014.

Augusto Diniz | Música brasileira

Livro resgata história de gravadora que lançou grandes discos no Brasil

Obra trata da Forma, que produziu clássicos fonográficos, como ‘Os Afro-Sambas’ de Baden-Vinicius e ‘Coisas’ de Moacir Santos

Imagem: iStock
Imagem: iStock
Apoie Siga-nos no

Os anos 1960 foram dos mais profícuos da música brasileira. Muitos projetos da época promoveram desdobramentos importantes sentidos até hoje.

Alguns deles foram os álbuns Os Afro-Sambas, de Baden Powell e Vinicius de Moraes, Coisas, de Moacir Santos, Inútil Paisagem, de Eumir Deodato, e o primeiro registro fonográfico do Quarteto em Cy são trabalhos referenciais por darem rumos à música brasileira dentro de seus vários segmentos. 

O da dupla Baden-Vinicius é um marco da introdução de elementos afros na música brasileira contemporânea; os de Moacir Santos e de Eumir Deodato trouxeram arranjos e harmonias para um padrão não existente no País na ocasião; e o registro do Quarteto em Cy inaugurou um importante projeto de conjunto vocal feminino. 

Esses discos saíram em formato vinil pela gravadora Forma, entre 1964 e 1967, criada por Roberto Quartin e Wadi Gebara mais por paixão à música brasileira do que qualquer outra coisa. 

O livro recém-lançado Tempo Feliz: A História da Gravadora Forma (Editora Kuarup, 282 pág.), de Renato Vieira, conta a breve história da gravadora e dos discos por ela lançados, os já citados e de outros artistas, como do pianista Luiz Carlos Vinhas e do saxofonista Victor Assis Brasil.

O material humano na sua qualidade musical era fundamental para se produzir grandes trabalhos, apesar do período ser marcado pela chegada do exterior dos primeiros equipamentos sofisticados de gravação, iniciando pelo próprio microfone.

A obra trata da produção de cada disco produzido pela Forma, dos bastidores e de como os artistas davam seus primeiros passos na indústria fonográfica. 

O projeto, que encerrou afundado em dívidas, mostrou o quanto foi importante para as gravadoras independentes já naquela época ao impulsionar cantores e compositores e obras capazes de oferecer novos rumos à música brasileira – ao contrário do que as majors fizeram décadas depois criando “gêneros” musicais rarefeitos.

Hoje, há produtoras e plataformas de músicas independentes com atuação na internet, promovendo e agenciando artistas e seus trabalhos. Não é projeto feito por paixão, mas sim pelas oportunidades financeiras propiciadas pelos novos tempos na web – espaço deixado pelas majors, que agora fazem parceria com essas mesmas produtoras e plataformas em busca de reinserção no mercado fonográfico.

Augusto Diniz

Augusto Diniz
Jornalista há 25 anos, com passagem em diversas editorias. Foi produtor musical e escreve sobre música desde 2014.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.