Supremo sob nova direção e a pressão do Congresso. E a PGR interina

André Barrocal entrevista o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay

O Supremo Tribunal Federal (STF) tem novo presidente. Luis Roberto Barroso assumiu o lugar de Rosa Weber, que pendura a toga em razão da idade. A vaga dela na corte será preenchida por um indicado de Luiz Inácio Lula da Silva, mas o presidente até agora não anunciou o escolhido – aliás, ele sofre pressões para que seja “uma” escolhida. A indefinição existe também no caso do procurador-geral da República. O mandato de Augusto Aras terminou sem que Lula tenha designado um substituto. O cargo será ocupado interinamente pela subprocuradora-geral Elizeta Ramos. Quais seriam os planos presidenciais para o STF e a PGR? O que esperar da atuação dos dois órgãos sob nova direção? Como terminará o cabo de guerra do Congresso com o STF, por causa de julgamentos polêmicos, como a descriminalização do aborto e da posse de maconha? Sobre esses assuntos, o repórter André Barrocal entrevista AO VIVO o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.