Moro e golpistas na pior, mas general, Ucrânia e MST geram más notícias para Lula

‘Fechamento’ da semana debate a saída de Gonçalves Dias do GSI e as declarações de Lula sobre o conflito na Ucrânia

O general Marco Antonio Edson Gonçalves Dias pediu demissão do cargo de ministro do GSI. O motivo foi a divulgação de imagens de câmeras internas do Palácio do Planalto que mostram militares do GSI colaborando com invasores de 8 de janeiro, combustível para uma tentativa da oposição de criar uma CPI. Não é o único fato complicado para Luiz Inácio Lula da Silva nos últimos dias. Suas declarações sobre a guerra na Ucrânia, durante visita à China, e a passagem do ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, por Brasília geraram reclamações dos Estados Unidos e da Europa. No Congresso, a bancada ruralista e os bolsonaristas uniram-se contra o MST, movimento que apoia o governo e realiza outro “abril vermelho” em defesa da reforma agrária. Mas nem tudo foi má notícia para o presidente.

A Procuradoria Geral da República acusou no Supremo Tribunal Federal (STF) o senador Sérgio Moro (Pode-PR) de crime de calúnia contra um dos juízes da corte. O mesmo tribunal começou a julgar centenas de participantes do levante de 8 de janeiro em Brasília. E os deputados preparam-se para votar uma lei de regulamentação das big techs, para combater mentiras e discursos de ódio. São os temas do Fechamento desta semana, com Marina Serafini, Mauricio Thuswohl e André Barrocal.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar