Crise ucraniana, arapuca militar nas eleições e o cortejo por Kassab

Equipe do ‘Fechamento’ recebe Carlos Eduardo Young, professor do Instituto de Economia da UFRJ

Neste episódio, André Barrocal, Fabíola Mendonça e Rodrigo Martins comentam os principais acontecimentos da semana e algumas das reportagens da edição 1197 de CartaCapital, que começa a circular na próxima sexta-feira, 25 de fevereiro, às vésperas dos festejos do Carnaval.

Após Vladimir Putin reconhecer a independência de províncias separatistas na Ucrânia e acenar com uma incursão militar, os EUA de Joe Biden anunciam sanções econômicas à Rússia, mas é incerta a adesão da Europa, dependente do gás russo. Quem ganha e quem perde com o prolongamento da queda de braço travada por Putin contra as potências ocidentais?

Com quase 200 mortos e dezenas de desaparecidos, o desastre em Petrópolis é o mais letal da história da cidade. É evidente o papel das mudanças climáticas na ocorrência de desastres naturais que serão cada vez mais frequentes, mas não dá para culpar apenas o clima pelo que aconteceu em Petrópolis e em outros pontos do País. A tragédia deve-se, sobretudo, a um modelo de desenvolvimento predatório e irresponsável. Sobre esse tema, a equipe de CartaCapital conversa com Carlos Eduardo Young, professor do Instituto de Economia da UFRJ e colaborador dos Programas de Pós Graduação em Ciências Ambientais da UNEMAT e UFAM.

E mais: ao desistir de ocupar um cargo no Tribunal Superior Eleitoral para atestar a lisura do pleito de outubro, o general Fernando Azevedo e Silva oferece munição aos militares golpistas. E o PT aumenta o dote oferecido para obter o apoio do PSD de Gilberto Kassab nas eleições presidenciais.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.