A Amazônia entregue ao crime e as ruínas da República de Curitiba expostas em filme

Alexandre Saraiva, ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas, participa do programa Fechamento

Nessa edição, André Barrocal, Fabíola Mendonça e Rodrigo Martins entrevistam o delegado Alexandre Saraiva, afastado da Superintendência da Polícia Federal do Amazonas depois de comandar as operações Androanthus e Akuanduba, responsáveis por apreender o maior volume de madeira ilegal da história e que culminaram na queda do então ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Em entrevista para a edição impressa de CartaCapital, ele afirma que crime organizado domina a Floresta Amazônica e tem boa parte da administração pública no bolso. O indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips cruzaram o caminho das facções que atuam no Vale do Javari e isso pode lhes ter custado a vida, como mostra a nossa reportagem de capa.

Os jornalistas apresentam, ainda, outros destaques da revista. O governo consumou a privatização da Eletrobrás, com vários dispositivos para evitar que Lula possa reverter o negócio caso vença as eleições. A editora de Cultura Ana Paula Sousa também fala sobre o documentário Amigo Secreto, a expor a implosão da República de Curitiba após a revelação dos diálogos entre Sergio Moro e procuradores pela Vaza Jato. A transmissão ao vivo começa às 19h (horário de Brasília), no canal de CartaCapital no YouTube.

Cacá Melo

Cacá Melo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar