Serasa é notificada após o vazamento de dados de 223 milhões de brasileiros

Informações como endereços, números de telefone, e-mails, score de crédito e salários foram parar em fóruns na internet

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Tecnologia

A Secretaria Nacional do Consumidor notificou na terça-feira 26 a Serasa Experian e pede esclarecimentos sobre o vazamento de dados de mais de 223 milhões de brasileiros. A empresa, que nega ser a fonte dos dados, deve apresentar sua defesa em até quinze dias a partir da notificação.

 

 

Segundo denúncia do site Tecnoblog, o vazamento, que se baseia em dados compilados em agosto de 2019, inclui fotos, endereços, números de telefone, e-mails, score de crédito, salários, renda e outros indicadores. O número de pessoas impactadas supera a população brasileira porque inclui falecidos.

Além da Senacon, o Procon de São Paulo já anunciou que notificará a Serasa Experian. Já o Ministério Público Federal em São Paulo informou que recebeu uma representação sobre o vazamento de dados, mas o pedido ainda está em processamento e será distribuído a um procurador da República para “análise e definição dos próximos passos”.

De acordo com o Tecnoblog, dois vazamentos foram registrados: o primeiro arquivo inclui nomes completos, CPFs, datas de nascimento e gêneros. Ele está disponível em fóruns populares na internet.

O segundo, porém, reúne informações mais detalhadas sobre as 223,74 milhões de pessoas atingidas pelo vazamento inicial, que vão da lista de parentes até o status na Receita Federal e no INSS.

Os responsáveis pelo vazamento cobram em bitcoins pela liberação dos dados completos.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem