Mundo

Foguete espacial de empresa privada japonesa explode segundos após o lançamento

A Space One disse em um comunicado que decidiu “cancelar o voo” e que abriu uma investigação sobre o ocorrido

Foto: various sources / AFP
Apoie Siga-nos no

Um foguete de uma empresa privada japonesa explodiu nesta quarta-feira (13) poucos segundos após o lançamento na região oeste do país, um enorme fracasso nas tentativas da companhia de colocar um satélite em órbita.

A missão da start-up Space One tinha como objetivo colocar em órbita um satélite do governo japonês, algo inédito para a indústria privada aeroespacial privada do país.

O foguete “Kairos”, de 18 metros de altura, decolou às 11H01 (23H01 de Brasília, terça-feira) no centro de lançamento da Space One na península de Kii, uma área montanhosa e de florestas na província de Wakayama.

Poucos segundos após a decolagem, no entanto, o foguete virou uma bola de fogo e uma fumaça espessa envolveu a instalação, com destroços do dispositivo caindo pelas encostas das colinas da região, mostraram imagens divulgadas ao vivo.

Foto: various sources / AFP

A Space One disse em um comunicado que decidiu “cancelar o voo” e que abriu uma investigação sobre o ocorrido.

“Queremos aceitar esse resultado com visão de futuro e iniciar nosso próximo desafio”, declarou a jornalistas o presidente da empresa, Masakazu Toyoda. Ele insistiu que a Space One não utiliza a palavra “fracasso”.

A empresa deseja “contribuir com a expansão dos serviços espaciais” com lançamentos de satélites bem-sucedidos com seus foguetes, acrescentou.

Destroços em chamas caíram nos arredores, onde se ativaram os ‘sprinklers’ de água, em cenas dramáticas vistas por centenas de espectadores que chegaram às áreas de observação pública.

Empresas privadas como a Space One desempenham um papel de crescente importância na exploração espacial mundial.

Em fevereiro, uma empresa de Houston pousou a primeira nave espacial americana na Lua em mais de 50 anos, e a Nasa depende cada vez mais dos foguetes fabricados pela SpaceX, de Elon Musk.

Mas são muitos os fracassos. No ano passado, outra start-up japonesa, ispace, tentou em vão se tornar a primeira companhia privada a pousar na Lua.

A empresa disse que perdeu contato com sua nave no que qualificou de uma “aterrissagem forçada”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo