Salles cria grupo de ‘análise’ para unir Ibama e ICMBio

Grupo, com duração inicial de quatro meses, será coordenado por secretário-executivo de Salles

Ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Sustentabilidade

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, assinou uma portaria publicada nesta sexta-feira 2 que cria um grupo de trabalho para analisar a fusão do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

 

O intuito do grupo, diz a portaria, é fazer uma “análise de sinergias e ganhos de eficiência em caso de fusão” das duas autarquias, as mais importantes para a preservação do meio ambiente no Brasil.

Salles não compõe o grupo, mas o Ministério do Meio Ambiente está representado por seu secretário-executivo, Luís Gustavo Biagioni, que o coordenará. Além dele, estarão presentes os presidentes do Ibama e do ICMBio, membros de logística dos dois órgãos e diretores do setor de proteção ambiental de ambos.

A duração do grupo de trabalho está estimada em quatro meses, podendo ser prorrogada pelo ministro. Ao fim do período, o grupo deverá elaborar “relatório circunstanciado sobre o tema” para entregar a Salles.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem