Sustentabilidade

Pantanal teve mais de 8 mil focos de incêndio em setembro, pior registro desde 1998

De janeiro a setembro, foram registrados 18.259 focos de calor

Incêndio no Pantanal. (Foto: Mayke Toscano/Secom-MT)
Apoie Siga-nos no

O Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou nesta quinta-feira 01 o balanço final para o mês de setembro no Pantanal: 8.106 focos de calor, o pior resultado desde 1998, quando começa o acompanhamento do órgão.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, houve um aumento de 180% no número de focos. No consolidado anual, de janeiro a setembro, foram registrados 18.259 focos de fogo no Pantanal. Até então, o pior resultado havia sido registrado no ano de 2005, com 12.536 focos.

O município mais atingido entre todos os biomas, em 2020, é  Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Foram 6.570 focos de calor registrados apenas ali até o momento.

A Polícia Federal apontou incêndios criminosos em fazendas particulares como a origem do fogo.

Segundo levantamento, parte do fogo que devasta o Pantanal mato-grossense teve origem em fazendas de pecuaristas que vendem gado para o grupo Amaggi, do ex-ministro e ex-senador Blairo Maggi, e para o grupo Bom Futuro, de Eraí Maggi. Esses dois grupos empresariais fornecem às multinacionais JBS, Marfrig e Minerva.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo