Sociedade

Vídeos mostram agressão policial em Paraisópolis após ação em baile funk

Entre as imagens, há o momento em que uma pessoa já detida recebe diversos chutes de um policial

PM dispara em pessoas na favela de Paraisópolis (Foto: Reprodução)
Apoie Siga-nos no

Uma operação da Polícia Militar de São Paulo terminou com nove mortos e sete feridos na madrugada deste domingo 01. A confusão chegou em um baile funk com 5 mil pessoas, o que fez com que muitos escapassem pelas ruas de Paraisópolis, zona sul de São Paulo.

A PM alega que houve perseguição e troca de tiros, mas vídeos que circulam nas redes sociais mostram policiais batendo em quem tentava fugir do tumulto.

Jornalistas chegaram a publicar muito dos relatos de agressão no Twitter. Em um deles, é possível ver um grupo de pessoas sendo encurralado pela PM em uma passagem estreita. Os policiais usam os cassetetes para bater nos que estão à frente do grupo.

Mais imagens mostram um agente chutando uma pessoa rendida na parede. A rua parece esvaziada, e outros PMs passam com um homem aparentemente detido pelo local. Um outro vídeo também flagra o momento em que um policial agride uma pessoa que corria na rua.

O tenente-coronel da PM, Emerson Massera, afirmou em uma coletiva de imprensa concedida na tarde deste domingo que “é difícil analisar se o procedimento foi correto” no primeiro momento.

Ele confirmou que a PM também recebeu os vídeos que denunciam abusos e que iriam averiguar se eles são, de fato, desta madrugada. A polícia reitera que todas as vítimas fatais foram ocasionadas por pisoteamento.

O governador de São Paulo, João Doria, publicou uma mensagem nas redes sociais e disse “lamentar profundamente as mortes ocorridas no baile funk em Paraisópolis”, e afirmou que determinou uma “apuração rigorosa” para os desdobramentos do “triste episódio”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.