Sociedade

Verba para vacinas pode ser reduzida em orçamento para 2020

Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) ainda precisa ser analisado pelo Congresso Nacional

STF vai decidir se Estado pode obrigar pais a vacinarem os filhos. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
STF vai decidir se Estado pode obrigar pais a vacinarem os filhos. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Orçamento federal para 2020 reduzirá em 7% a verba para compra e distribuição de vacinas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de acordo com o Projeto de Lei Orçamentária Anual 2020 (PLOA 2020). Segundo informa o site G1, o Ministério da Saúde afirmou que o corte não afetará ações do Calendário Nacional de Vacinação.

A redução deve chegar a quase 400 milhões de reais, mas a proposta ainda precisa ser analisada pelo Congresso Nacional. Em 2019, o montante destinado para a Saúde foi de 122,2 bilhões. O Projeto de Lei Orçamentária quer destinar 134,8 bilhões.

Dentro desse valor, 4,9 bilhões devem ser dedicados à aquisição e distribuição de imunobiológicos e insumos, valor menor do que em 2019, de 5,3 bilhões. O Ministério da Saúde afirma que diminuiu custos com compras em quantidade.

Vacinas contra febre amarela, rotavírus, poliomielite e tetra viral já foram compradas, diz a pasta. Em caso de surtos, os valores podem ser remanejados.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!