Sociedade

RJ: morador da Favela Santa Marta denuncia arrombamento de casa por policiais

‘A gente não tem nenhum tipo de direito morando em favela’, desabafa repórter fotográfico

(Foto: Reprodução)
Apoie Siga-nos no

O repórter fotográfico Tandy Firmino, morador da Favela Santa Marta, no Rio de Janeiro, denunciou que policiais militares invadiram sua residência nesta segunda-feira 11 em uma operação na comunidade.

Firmino estava dormindo e não ouviu os policiais baterem à porta. Segundo ele, essa foi a justificativa para a invasão. O relato foi feito por meio de um vídeo publicado pelo portal Voz das Comunidades. A casa de Firmino não teria sido a única a ser invadida, segundo o morador.

“Minha filha acordada, chorando. Eu fui abordado agora pela manhã. Abordado dentro da minha casa. A realidade do morador de favela é essa – é preto, pobre e favelado, e o que acontece? Tá aqui minha porta toda arrebentada”, diz.

“Infelizmente, isso já virou rotina. A gente não tem nenhum tipo de direito morando em favela. Chegar, simplesmente, e arrebentar sua porta. E ainda me coloca como errado, como se eu estivesse errado porque eu não escutei. Eu tô em casa, dormindo, eu tô de férias”, continua Firmino.

Em nota, a Polícia Militar do Rio de Janeiro diz que “o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Santa Marta está no local averiguando a situação relatada e um procedimento apuratório interno será instaurado”

“Esta prática não é prevista nos protocolos da Corporação”, afirma a corporação, informando também os canais para o recebimento de denúncias anônimas: o telefone (21) 2725-9098 e o e-mail [email protected].

Sobre a operação, a PMERJ afirmou que policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Santa Marta “estavam em patrulhamento na Ladeira dos Guararapes, na comunidade Cerro Corá, quando foram atacados por disparos de arma de fogo.”.

Uma granada foi apreendida e, até o momento, não há relatos de prisões ou de possíveis feridos, diz a corporação.

*Matéria atualizada às 15h08 após nova nota da PMERJ

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo