Rio: Polícia avalia mais de 40 câmeras e não encontra crianças desaparecidas

Lucas Matheus, Alexandre da Silva e Fernando Henrique não são vistos há 12 dias

(Foto: Reprodução/Facebook)

(Foto: Reprodução/Facebook)

Sociedade

A Polícia Civil do Rio de Janeiro já analisou mais de 40 câmeras que poderiam ter registrado passos das três crianças que desapareceram no dia 27 de dezembro, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, mas ainda não tem indícios do paradeiro.

 

 

Lucas Matheus, Alexandre da Silva e Fernando Henrique, que têm entre 8 e 11 anos, sumiram após saírem para brincar em um campo de futebol perto de casa e não voltaram mais. As crianças estão sumidas há doze dias.

Na quinta-feira 7, a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF ) e a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) realizaram uma operação atrás de pistas de crianças.

A Polícia Civil já realizou diligências em pelo menos 30 locais na capital e nos municípios de Belford Roxo, Duque de Caxias e Nova Iguaçu, de acordo com depoimentos e notícias de possíveis regiões onde os meninos teriam sido vistos.

Denúncias sobre o desaparecimento de Lucas, Alexandre e Fernando podem ser repassadas ao Disque Denúncia, através do telefone: 2253-1177.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem