Quem é Mc Reaça, o músico morto homenageado pela família Bolsonaro

Família do presidente prestou condolências ao cantor que espancou a amante grávida e depois cometeu suicídio

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Sociedade

No sábado 1, notícias sobre a morte do chamado “Mc Reaça” – apoiador de Bolsonaro e criador de alguns jingles de campanha populares nas últimas eleições – repercutiram nas redes sociais.

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, Reaça, ou Tales Volpi, seu nome verdadeiro, teria cometido suicídio, de acordo com a apuração da Polícia Civil. Não demorou muito para que o presidente e seus filhos manifestassem as condolências pelo Twitter:

Paralelo à corrente de condolências liderada pelo clã Bolsonaro nas redes sociais, as supostas motivações de Volpi para tirar a própria vida tiveram ainda mais repercussão: o músico, que era casado, teria agredido a amante ao descobrir que ela estava grávida. A mulher segue internada em um hospital de Indaiatuba, com edema e hematomas no rosto e olho, além de fraturas no maxilar, segundo apurou reportagem do Estadão.

O crime aconteceu horas antes do corpo de Mc Reaça ser encontrado em uma estrada em Valinhos, cidade do interior paulista. Na mesma tarde, o Reaça mandou um áudio de WhatsApp para a esposa pedindo que ela ajudasse a amante a cuidar da criança, caso o bebê sobrevivesse.

O contexto fez com que as homenagens prestadas por Bolsonaro fossem duramente criticadas.

Os internautas lembraram do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, em março de 2018, e de Evaldo dos Santos Rosa, morto após ter o carro fuzilado por mais de 80 tiros do Exército brasileiro.

Ambos os casos ocorreram no Rio de Janeiro, casa da família Bolsonaro, e têm um outro ponto em comum: não tiveram uma palavra de condolência mencionada pelo presidente e sua base eleitoral.

O corpo de Tales Volpi foi sepultado, neste domingo 2 em memorial do Cemitério Parque dos Indaiás, em Indaiatuba.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem