Política

Polícia apreende fuzil, celulares e dinheiro com fugitivos de Mossoró

Os itens foram encontrados nos três carros de um comboio que transportava Rogério Mendonça e Deibson Nascimento

Itens que a PF e a PRF apreenderam ao recapturarem os fugitivos de Mossoró (RN), em 4 de abril de 2024. Foto: Divulgação/PRF
Apoie Siga-nos no

A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal apreenderam com os dois fugitivos que escaparam da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) um fuzil, dois carregadores, oito celulares e uma quantia de dinheiro em espécie ainda não informada.

Os itens foram encontrados nos três carros de um comboio que transportava Rogério Mendonça e Deibson Nascimento. Eles fugiram da cadeia em 14 de fevereiro e foram recapturados nesta quinta-feira 4 em Marabá (PA), distante 1,6 mil quilômetros de Mossoró. Além de Pará e Rio Grande do Norte, a dupla passou por Ceará, Piauí e Maranhão na fuga.

A abordagem em que a PF e a PRF prenderam os criminosos ocorreu em uma ponte na BR-222, no cruzamento com o Rio Tocantins. Agentes decidiram realizar as prisões naquele ponto a fim de evitar a fuga pelo rio.

Nos carros do comboio – um Jeep, um Classic e um Polo – a polícia também encontrou cartões de crédito e munições. Dos oito celulares, três já eram monitorados pela PF.

Após a captura, o ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, afirmou que a dupla tentava fugir para o exterior e teve o auxílio de comparsas de facções criminosas. Segundo ele, a polícia prendeu 14 pessoas que teriam ajudado os criminosos.

Rogério e Deibson voltarão para o presídio de Mossoró, após um processo de reformulação na direção e de reforço na segurança.

Para Lewandowski, trata-se de uma “vitória do Estado brasileiro e das forças de segurança do Brasil”. O resultado, segundo ele, “demonstra que o crime organizado no nosso País não será bem-sucedido”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo