Sociedade

Litoral de São Paulo

Petrobras tenta impedir avanço do vazamento de óleo em São Sebastião

por Agência Brasil publicado 07/04/2013 13h56, última modificação 07/04/2013 13h56
Equipes de limpeza concluíram trabalhos em ao menos quatro praias, mas orientação é para evitar esses lugares

Por Bruno Bocchini*

São Paulo – Equipes da Petrobras Transporte (Transpetro) passaram a noite trabalhando para evitar que o óleo vazado na sexta-feira 5 no píer do terminal Almirante Barroso (Tebar), em São Sebastião (SP), se alastre pelo litoral paulista. Segundo a empresa, o vazamento foi controlado.

O problema atingiu a Praia das Cigarras, próximo da divisa com o município de Caraguatatuba. Até a noite de sábado 6, a Transpetro havia concluído os trabalhos de limpeza das praias Deserta, Pontal da Cruz, Portal da Olaria e Ponta do Lavapés.

De acordo com a prefeitura de São Sebastião, passam pelo píer do terminal cerca de 55% do petróleo consumido em todo o país. A Vigilância Sanitária do município fez um alerta ontem, pedindo que moradores e turistas não frequentem as praias da região central e do litoral norte até uma análise mais criteriosa da poluição.

As praias que devem ser evitadas são: Porto Grande, Deserta, Ponta da Cruz, Arrastão, Portal da Olaria, São Francisco, Figueira, Cigarras e Enseada.

As causas do vazamento ainda estão sendo apuradas. A Transpetro mobilizou cerca de 300 pessoas e 37 embarcações, como o navio Egmopol, para serem usados no recolhimento e armazenamento do óleo que vazou. Técnicos da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) também acompanham os trabalhos.

*Publicado originalmente em Agência Brasil.

registrado em: Celso Amorim, Sociedade, São Paulo