Papa Francisco diz que desemprego é tragédia mundial

O desemprego no Brasil cresceu no primeiro trimestre de 2019 e atinge 13,4 milhões de trabalhadores

Papa Francisco diz que desemprego é tragédia mundial

Sociedade

O papa Francisco definiu esta quarta-feira 1º de maio o desemprego como uma tragédia mundial e pediu a intercessão de São José por aqueles que perderam o emprego ou não conseguem encontrá-lo.

Ao final da Audiência Geral na Praça São Pedro, diante de milhares de fiéis, o pontífice fez votos de que a figura de São José, “o humilde trabalhador de Nazaré, nos oriente em direção a Cristo, sustente o sacrifício daqueles que praticam o bem neste mundo e interceda por aqueles que perderam o próprio emprego ou não conseguem encontrá-lo, uma tragédia mundial nesses tempos”.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (Pnad-C), divulgada terça-feira 30 pelo IBGE, o desemprego no Brasil cresceu e atingiu 12,7% no primeiro trimestre deste ano, o que representa 1,1 ponto percentual a mais na comparação com o último trimestre de 2018. A população desocupada no Brasil chega hoje a 13,4 milhões de pessoas.

O Brasil também atingiu o recorde na taxa de trabalhadores subutilizados no mercado de trabalho, com 28,3 milhões de pessoas nesta condição no primeiro trimestre deste ano, 5,6% a mais do que no último trimestre de 2018 e 3% a mais do que no primeiro trimestre daquele ano.

Essa taxa é formada pela soma de três perfis que estão fora da força de trabalho: os desocupados, os subocupados e a força de trabalho potencial. Desocupados são aqueles que, no momento da pesquisa, estavam sem emprego.

São considerados subocupados os brasileiros que trabalham menos de 40 horas por semana, e gostariam de trabalhar mais. E a força de trabalho potencial é formada pelos que gostariam de trabalhar, mas não conseguem procurar emprego. Mulheres com filhos pequenos, por exemplo, entram nessa conta.

*Com informações da Agência Brasil

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem