Sociedade

Operação policial na zona norte do Rio deixa 11 mortos

Entre eles, estão dez supostos criminosos e uma moradora de um bairro próximo à região

Blindado da polícia no meio da Vila Cruzeiro — Foto: Reprodução/TV Globo
Blindado da polícia no meio da Vila Cruzeiro — Foto: Reprodução/TV Globo
Apoie Siga-nos no

Uma operação policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope) em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF ) realizada na manhã desta terça-feira 24 na região da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, zona norte do Rio, deixou 11 mortos.

Entre eles, estão dez supostos criminosos e uma moradora de um bairro próximo à região. Gabriele Ferreira da Cunha, de 41 anos, foi baleada na entrada da Chatuba, que fica ao lado da Vila Cruzeiro. Outras duas pessoas ficaram feridas e foram levadas para o Hospital Getúlio Vargas, também na Penha.

A polícia afirmou que foi recebida a tiros por supostos criminosos no alto da favela quando se preparava para começar a operação, que busca localizar e capturar líderes criminosos do Comando Vermelho que estariam escondidos na região.

Segundo a polícia, lideranças da facção em outras favelas do Rio — como Jacarezinho, Mangueira, Providência e Salgueiro (São Gonçalo) — e até de estados do Norte e do Nordeste também estão abrigados na Penha.

Moradores relataram que começaram a ouvir tiros às 4h. O confronto fez com que 11 escolas da rede municipal fossem fechadas, segundo a Secretaria Municipal de Educação.

A Polícia informou que foram capturados onze fuzis, quatro pistolas e uma granada.

O Rio completou este mês um ano da operação policial mais mortal de sua história na favela do Jacarezinho, localizada a oito quilômetros da Vila Cruzeiro, em que 28 pessoas morreram.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.