Sociedade

O que já se sabe sobre o acidente que matou Marília Mendonça

A cantora, de 26 anos, foi enterrada no sábado, no cemitério Parque Memorial, em Goiânia

Créditos: Divulgação Créditos: Divulgação
Créditos: Divulgação Créditos: Divulgação

A Polícia Civil de Minas Gerais segue com a investigação sobre a queda da aeronave que vitimou a cantora Marília Mendonça e sua equipe na sexta-feira 5. O bimotor modelo King Air C90a saiu de Goiânia com destino à cidade de Caratinga, interior de Minas Gerais, onde a cantora faria show, mas caiu a cerca de 2km do aeroporto.

A operação para retirar os destroços da aeronave foi iniciada na manhã deste domingo 7 e autorizada depois que se encerrou uma primeira etapa da perícia feita pela Polícia Civil e pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) no local do acidente. Ainda de acordo com o Cenipa, uma nova etapa da perícia será feita no hangar onde ficará a aeronave, de propriedade da empresa PEC Táxi Aéreo.

1. Aeronave estava regular, segundo Anac

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) se manifestou em nota após o acidente afirmando que a aeronave de matrícula PT-ONJ, modelo C90A,  possuía capacidade para transportar seis passageiros, além dos pilotos. “De acordo com o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), o avião estava com o Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA) válido até 01/07/2022. A empresa tinha autorização para operar táxi-aéreo”, esclareceu a agência.

2. Avião não tinha caixa preta

No sábado 6, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) informou que o avião não tinha caixa-preta. No entanto, afirmou que foi encontrado um geolocalizador que servirá de referência, junto ao plano de voo, para apurar as causas do acidente.

3. Aeronave atingiu fios elétricos

Segundo informações da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a aeronave atingiu um cabo de uma torre de distribuição da empresa a cerca de 5 km do local de pouso. Ainda de acordo com a companhia, a linha de distribuição atingida está localizada fora da zona de proteção do Aeródromo de Caratinga.

A investigação ainda busca esclarecer porque, aparentemente, o avião estava em baixa altura quando colidiu com os fios. Também há relatos de que o avião teria perdido um dos motores, ainda no ar, após a colisão. Os dois motores foram encontrados próximo ao local da queda, um deles a 200 metros do bimotor. Testemunhas ainda serão ouvidas pela Polícia Civil.

Marília Mendonça foi enterrada no sábado 6, no cemitério Parque Memorial, em Goiânia, mesmo local em que foi sepultado o assessor e tio da cantora Abicieli Silveira Dias Filho.

Também faleceram no acidente o piloto Geraldo Martins de Medeiros Júnior; o copiloto, Tarciso Pessoa Viana; e o produtor Henrique Ribeiro.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!