Mulheres protestam contra cultura do estupro

Sociedade

Milhares de mulheres protestaram nesta quarta-feira em diversas cidades brasileiras contra o abuso sexual e a cultura do estupro que criminaliza as vítimas e isenta os agressores. O protesto foi convocado após o estupro de uma adolescente no Rio de Janeiro que chocou o país.

No Rio de Janeiro, a marcha reuniu mais de 2 mil mulheres no centro da cidade. As manifestantes levaram cartas com dizeres como “não é não”, “o machismo mata”, “se trata de violência, não de sexo”. As mulheres caminharam pela Avenida Presidente Vargas.

Em São Paulo, o ato, chamado Por todas Elas, foi convocado pelas redes sociais e reuniu centenas de mulheres em frente ao Masp. As manifestantes condenaram o machismo, a misoginia e defenderam os direitos femininos.

As manifestantes caminharam pela Avenida Paulista até a Praça Roosevelt. Durante a marcha, algumas gritaram “Machistas, golpistas, não passarão” e “O corpo é da mulher e ela dá para quem quiser”.

 

 


 


 


 


 


 

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem