Sociedade

Mulher morre na fila do Cras, em Brasília, em busca de benefícios sociais

Testemunhas afirmaram que Janaína Nunes Araújo buscava atendimento há oito dias

Créditos: TV Globo/Reprodução
Apoie Siga-nos no

Uma mulher de 44 anos morreu, na madrugada desta quarta-feira 17, na fila do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) do Paranoá, no Distrito Federal. A unidade é a responsável por serviços como cadastramento ou atualização dos dados no CadÚnico, para que pessoas de baixa renda possam ser incluídas em programas como Tarifa Social de Energia Elétrica e Benefício de Prestação Continuada (BPC), além de dar direito ao Auxílio Emergencial e ao Auxílio Brasil.

A vítima, identificada como Janaína Nunes Araújo, começou a passar mal por volta das 4h, com sinais de infarto. Ela chegou a ser levada ao Hospital Regional do Paranoá, mas não resistiu. Segundo a Secretaria de Saúde, Janaína deu entrada no Hospital Regional do Paranoá às 4h26, com “rosto roxo, corpo rígido e pupilas médio fixas”. A vítima passou por ressuscitação, mas não resistiu e teve óbito declarado às 5h.

Ainda de acordo com a pasta, a mulher se sentiu mal por volta das 20h de terça-feira 16, mas não procurou atendimento médico.

Testemunhas afirmaram que a mulher tentava atendimento há oito dias e buscava receber benefícios por ter problemas psicológicos e não conseguir trabalhar. A situação de pessoas dormindo na fila dos Cras para conseguir atendimento tem sido comum em Brasília, já que as senhas não são suficientes para atender a todas as solicitações.

Em nota, a Secretaria de Desenvolvimento Social lamentou o ocorrido e afirmou que está prestando toda a assistência necessária. Informou ainda que a distribuição de senhas varia de acordo com a capacidade de atendimento diária de cada unidade e que Cras Paranoá prestou 108 atendimentos na data, entre demanda espontânea, pessoas agendadas e atendimento com algum especialista. A pasta disse ainda que foi inaugurado mais um posto de atendimento na região, com o objetivo de aumentar o número de atendimentos.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo