MP-SP denuncia mulher que ofendeu clientes e funcionários em padaria

Lidiane Brandão Biezok, de 45 anos, é acusada de injúria racial, lesão corporal e homofobia

Créditos: divulgação redes sociais

Créditos: divulgação redes sociais

Sociedade

O Ministério Público de São Paulo denunciou à Justiça, na segunda-feira 30, a mulher que foi filmada dentro de uma padaria, na zona oeste de São Paulo, ofendendo funcionários e clientes  no último dia 20. Lidiane Brandão Biezok, de 45 anos, é acusada de injúria racial, lesão corporal e homofobia.

 

 

A denúncia foi feita pela promotora Martha de Camargo Duarte Dias. Caberá à juíza Carla de Oliveira Pinto Ferrari, da 20ª Vara Criminal, no Fórum da Barra Funda, decidir se aceita ou rejeita a acusação. Se concordar com o MP, Lidiane se tornará ré no processo.

No dia do ocorrido, a mulher chegou a ser presa em flagrante, mas teve a prisão domiciliar concedida pela Justiça por ter “problemas psiquiátricos”, segundo informou a assessoria do Tribunal de Justiça (TJ).

No momento da prisão, Lidiane também afirmou ser advogada internacional. No entanto, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) informou que ela não tem registro para advogar.

A defesa da acusada quer liberá-la da prisão domiciliar alegando que a cliente precisa de tratamento psiquiátrico.

Não é a primeira vez que Lidiane é acusada por xingar e bater em alguém. Em 2005, ela havia sido acusada de calúnia, injúria e difamação. Em 2007, também respondeu por lesão lesão corporal.

 

Reveja o vídeo:

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem