Sociedade

Memória: Pinguelli Rosa era um defensor intransigente do País

O notável físico e professor presidiu a Eletrobras no primeiro governo Lula e dirigiu por quatro mandatos o Coppe/UFRJ, do qual era professor emérito

Luiz Pinguelli Rosa. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O notável físico e professor Luiz Pinguelli Rosa morreu na quinta-feira 3 no Rio de Janeiro, aos 80 anos, no Hospital São ­Lucas, após longa enfermidade. Pinguelli Rosa presidiu a Eletrobras no primeiro governo Lula e dirigiu por quatro mandatos o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós ­Graduação e Pesquisa em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o Coppe/UFRJ, do qual era professor emérito.

Em nota, a ex-presidente Dilma Rousseff disse que ele foi um “visionário defensor da ciência e do País, um nacionalista que colocou o Brasil e os interesses do povo no centro de todo o seu trabalho intelectual e científico”. Ildo Sauer, professor titular de Energia da USP e ex-diretor da Petrobras, lamentou o falecimento. “O professor Pinguelli Rosa representa pessoalmente para mim uma grande inspiração, como meu co-orientador de mestrado, líder na formação de grandes educadores, profissionais cientistas no Brasil. Liderou a luta no campo da ciência e tecnologia, de modo particular no campo da energia, pela construção de um Brasil justo, humanitário, igualitário, pela capacidade de desenvolvimento autônomo, apropriação dos recursos naturais de maneira sustentável para a transformação social do País. O legado dele é imenso, só não é maior do que a tristeza que nos acomete pela perda.”

Segundo Sauer, “ele estava, apesar da ­doença, engajado profundamente na luta em defesa do petróleo, mas acima de tudo, nos dias recentes, mesmo enfermo, contra a privatização da Eletrobras. O exemplo que nos deixa é de uma extraordinária pessoa e figura humana, inspirador de uma geração enorme de cientistas e educadores, de um compromisso inabalável com o Brasil, especialmente com as lutas sociais”.

Pinguelli Rosa recebeu vários prêmios de instituições científicas, no Brasil e no exterior.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.