Manifestante do MST morre e outros ficam feridos após atropelamento

Idoso de 72 anos foi atingido por carro em alta velocidade durante manifestação em Valinhos, no interior de São Paulo

Foto: Divulgação/Direção Estadual do MST SP

Foto: Divulgação/Direção Estadual do MST SP

Sociedade

Uma pessoa morreu e outras ficaram feridas após uma caminhonete em alta velocidade cortar uma manifestação promovida pelo Movimento Sem Terra (MST) em Valinhos, interior de São Paulo, na manhã desta quinta-feira 18.

De acordo com o MST, as famílias do Acampamento Marielle Vive estavam entregando alimentos e panfletando para pressionar a prefeitura por fornecimento de água quando foram surpreendidas com o carro. Identificado como ‘senhor Luiz’, a vítima tinha 72 anos. Segundo informado pelo portal G1, outras seis pessoas ficaram feridas – entre elas, um jornalista que gravava o protesto.

O atropelamento aconteceu na Estrada do Jequitibá em frente ao acampamento, composto por mais de 1000 famílias da região de Campinas e que ocupou a região no dia 14 de abril de 2018 – um mês após o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, no Rio de Janeiro.

Em nota, o MST lamentou a ocorrência: “Exigimos punição imediata a este assassino, que age sob o clima de terror contra os movimentos populares, incentivado por autoridades irresponsáveis que estão no governo brasileiro.”

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem