Imprensa recebeu 11 mil ataques por dia na internet em 2019, diz Abert

Relatório registrou 3,2 milhões de publicações com ataques à imprensa no ano passado

A empresa americana Twitter. Foto: Reprodução

A empresa americana Twitter. Foto: Reprodução

Sociedade

A imprensa profissional foi alvo de cerca de 11 mil ataques por dia nas redes sociais em 2019, segundo mostrou relatório divulgado nesta quarta-feira 11 pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert).

De acordo com o documento, o  número de casos de violência contra jornalista foi reduzido em 50,78% no ano passado, em relação a 2018. Foram 56 casos contra 78 profissionais.

Entre eles, estão registros de agressões físicas, como socos e pontapés (24), ofensas (8), intimidações (6), ameaças (5), censuras (5), ataques/vandalismos (4), assédios sexuais (1), injúrias raciais (1), detenções (1) e roubos/furtos (1).

Nas redes sociais, em 2019, 130 milhões de brasileiros com acesso ao Twitter produziram 6,2 bilhões de posts. Desse número, 39,2 milhões de posts citaram as palavras “mídia”, “imprensa”, “jornalista” e “jornalismo”.

Segundo a pesquisa, desse conjunto, 3,2 milhões (10%) de publicações vinham de sites conservadores e continham palavras de baixo calão ou expressões que descredibilizam o trabalho da imprensa. Já 714 mil tuítes foram produzidos por canais de esquerda.

Foi a primeira vez que a Abert monitorou casos ocorridos em redes sociais.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem