Homem é torturado com choque elétrico em supermercado de São Paulo

Vídeo revela caso ocorrido em 2018, em que torturadores agridem homem amordaçado

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Sociedade

Um novo caso de tortura dentro de um supermercado foi revelado, nesta sexta-feira 20, em um vídeo que circula nas redes sociais. As agressões teriam ocorrido em março de 2018, no supermercado Extra, no bairro Morumbi, na zona sul de São Paulo.

Segundo informações iniciais, a vítima foi torturada por tentar roubar um pedaço de carne. Nas imagens, um homem amordaçado apanha de calças abaixadas e mãos amarradas. Os seguranças espancam o homem com um cabo de vassoura e dão choques em suas mãos.

Os agressores chegam a ameaçar o rapaz de morte: “Você vai voltar aqui para encher o saco? Seu vacilão. Você quer que a gente te mate? Seu zé roela”. O rapaz grita de dor e implora que os torturadores parem.

Em nota, o Extra afirmou que “assim que tomou conhecimento do lamentável caso”, iniciou uma investigação interna para apurar o fato.

“A rede lamenta profundamente que tal comportamento possa ter ocorrido em uma de suas unidades, uma vez que proíbe categoricamente o uso de qualquer tipo de violência, seja por meio de seu código de ética e conduta por suas políticas internas”, escreve a empresa.

A rede afirma que desligou o responsável pela área de prevenção da loja mencionada, afastou a empresa e os seguranças alocados até que a investigação interna seja concluída.

À emissora SBT, o responsável pela denúncia deu detalhes sobre o caso, mas não se identificou. Ex-funcionário do supermercado, ele publicou a gravação que recebeu, em 2018, de outro colega que trabalhava no local.

“Eu trabalhava em uma empresa terceirizada e consegui também escutar os gritos do rapaz, que foi levado para uma sala próximo à portaria dos funcionários, e agredido lá no local”, afirmou.

Outra testemunha que não se identificou disse à emissora que já ouviu outros ocorridos semelhantes.

“Eu tava indo no RH quando ouvi uma pessoa gritando. A partir do momento que a terceirização da segurança chega no mercado, eles só seguem ordem do próprio mercado, do chefe da prevenção. Eram eles que ordenavam as torturas sim”, afirmou.

Torturadores do Ricoy estão presos

No início de setembro, outro caso de tortura teve como vítima um rapaz de 17 anos que teria roubado um chocolate. O jovem foi chicoteado com fios elétricos por uma dupla de seguranças no supermercado Ricoy, no bairro da Vila Joaniza, na zona sul de São Paulo.

De acordo com o boletim de ocorrência, os torturadores o agrediram por cerca de 40 minutos, em um quarto nos fundos da loja. Ele também relatou ter recebido ameaças de morte se contasse o caso à polícia.

Os agressores foram identificados como David de Oliveira Fernandes e Valdir Bispo dos Santos. Eles já estão presos temporariamente. Os dois foram denunciados pelo Ministério Público, na segunda-feira 16, por tortura, cárcere privado e divulgação de cenas de nudez. A agressão foi gravada por um dos torturadores.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem