Sociedade

Frade fundador de projetos para crianças é preso suspeito de ligação com rede de pornografia infantil

Frei Elvécio de Jesus Carrara é acusado de produzir e armazenar material pornográfico envolvendo menores de idade

Operação da Polícia Civil mineira cumpriu mandados de busca em São Paulo, capital, cidade de Goiás (GO) e São João del-Rei (MG). Foto: Polícia Civil/Minas Gerais
Apoie Siga-nos no

Uma operação da Polícia Civil de Minas Gerais prendeu, nesta quarta-feira 3, um frade católico que realizada projetos sociais de ajuda a crianças em situação de vulnerabilidade. Ele é acusado de produzir e armazenar material pornográfico envolvendo menores de idade.

Policias encontraram fotos e vídeos pornográficos de adolescentes no celular do religioso.

Após audiência de custódia, a Justiça mineira manteve a prisão de Elvécio de Jesus Carrara.

A ONG que teve início na cidade de São João Del-Rei atende cerca de 300 crianças e adolescentes nas áreas educacional, cultura, esportiva e assistencial.

Conforme o delegado Evandro Radaelli, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente da Polícia Civil de Minas Gerais, padre se valia dessas atividades para manter relações de cunho sexual com adolescentes.

“Tudo indica que os abusos ocorriam por meio dessa ONG mantida pelo investigado, por meio da qual ele oferece serviços educacionais aos adolescentes. A (suposta prática de) pedofilia, nesse caso, era mascarada pela condição religiosa do investigado”, disse Radaeli.

Segundo os investigadores, o religioso dava presentes, pagava a escola e oferecia dinheiro para ganhar a confiança do adolescente.

De acordo com frei André Luis Tavares, provincial dos Dominicanos no Brasil, Carrara nunca teve permissão da igreja para abrir a ONG e manter as obras sociais que preside e para as quais arrecada fundos, fazendo isso por “iniciativa pessoal” e “à revelia das orientações das autoridades da Ordem no Brasil”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo