Energia limpa e carros compartilhados: Brasil ganha primeiras ‘smart cities’ ao molde europeu

No Ceará, empreendimento do gênero abriga 200 famílias e pode receber até 25 mil pessoas

Bairro do Smart City Laguna, no Ceará (Foto: Divulgação)

Bairro do Smart City Laguna, no Ceará (Foto: Divulgação)

Sociedade

A busca por cidades mais inteligentes e sustentáveis tende a crescer e pode mudar a forma de organização urbana no Brasil. E já existem bons exemplos deste novo formato de desenvolvimento já em operação. E não só nas grandes metrópoles. No estado do Ceará, por exemplo, segundo o ranking Connected Smart Cities, há 15 cidades com grande potencial para abrigar cidades inteligentes. A seleção leva em conta em indicadores como governança, tecnologia, inovação, empreendedorismo, mobilidade, acessibilidade, urbanismo, segurança e economia.

Segundo a União Europeia, smart cities são sistemas urbanos que fazem uso estratégico de infraestrutura, serviços, comunicação para promover o desenvolvimento econômico e qualidade de vida

Uma das cidades listadas no ranking é São Gonçalo do Almirante, a 70 quilômetros de Fortaleza. É lá que foi construída a Smart City Laguna, a primeira smart city inclusiva do Brasil criada do zero, com capacidade para abrigar até 25 mil pessoas. Desde a sua concepção, o empreendimento foi pensado para ter energia limpa, bicicletas e carros compartilhados, espaços de lazer e culturais gratuitos, hortas urbanas, espaço saúde, cozinha social e bancos inteligentes. Cerca de 200 famílias já vivem no local, que conta com uma área total de 330 hectares.

A estrutura não é exclusiva para os moradores. Pessoas de comunidades vizinhas também têm acesso a espaços como academia ao ar livre, campo de futebol, playground, hub de inovação com wi-fi gratuito, além de farmácias, mercadinhos, padarias, lojas e feiras livres. “Para muitas pessoas, o conceito de cidades inteligentes está ligado à tecnologia e ao poder aquisitivo, mas nosso foco é, na verdade, o capital humano”, conta Susanna Marchionni, CEO no Brasil da Planet, empresa responsável pelo projeto. “Com construção e crescimento planejados, entregamos cidades sem barreiras, que integram os moradores e oferecem oportunidades de acesso à cultura, ao lazer e ao crescimento profissional.”

Além do projeto em São Gonçalo do Almirante, a Planet no Brasil é responsável pela Smart City Aquiraz, também no Ceará, planejada para 18 mil moradores; a Smart City Natal, no Rio Grande do Norte, para 15 mil pessoas; e o Viva!Smart, que será lançado em São Paulo, composto por quatro empreendimentos com um total 2.500 apartamentos, nos bairros Bela Vista, Itaquera, Jabaquara e Freguesia do Ó.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter correspondente de CartaCapital em Pernambuco

Compartilhar postagem