Brumadinho: MP oferece denúncia contra Vale, Tüv Süd e 16 pessoas

Ministério Público de Minas Gerais acusa empresas e indivíduos de homicídio doloso

Barragem da Vale se rompe em Brumadinho (MG). (Foto: Agência Brasil)

Barragem da Vale se rompe em Brumadinho (MG). (Foto: Agência Brasil)

Sociedade

O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) ofereceu denúncia, nesta terça-feira 21, contra as empresas Vale e Tüv Süd e mais 16 pessoas por crimes decorrentes do rompimento da Barragem I da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG).

O presidente da Vale, Fabio Shcvartsman, também é alvo da denúncia. O MP-MG acusa as empresas e os indivíduos citados de crime de homicídio doloso, quando há a intenção de matar.

A tragédia completa um ano no sábado 25. O rompimento foi responsável pela morte de 259 pessoas, no dia 25 de janeiro de 2019. O Corpo de Bombeiros ainda procura 11 desaparecidos.

Procurada, a empresa Vale expressou “perplexidade” por ter sido acusada de dolo e disse que é prematuro afirmar que houve consciência prévia do risco de ruptura.

Já a Tüv Süd diz que permanece “consternada” pela tragédia em Brumadinho e oferece sua cooperação para as investigações sobre o caso.

Confira, na íntegra, as notas das empresas.

Com a palavra, a Vale

A Vale informa que tomou conhecimento nesta data, 21 de janeiro de 2020, do oferecimento de denúncia pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) com relação ao rompimento da Barragem I, na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG).

Sem prejuízo de se manifestar formalmente após analisar o inteiro teor da denúncia, a Vale desde logo expressa sua perplexidade ante as acusações de dolo. Importante lembrar que outros órgãos também investigam o caso, sendo prematuro apontar assunção de risco consciente para provocar uma deliberada ruptura da barragem.

A Vale confia no completo esclarecimento das causas da ruptura e reafirma seu compromisso de continuar contribuindo com as autoridades.

Com a palavra, a Tüv Süd

A TÜV SÜD continua profundamente consternada pelo trágico colapso da barragem em Brumadinho, em 25 de janeiro de 2019. Nossos pensamentos estão com as vítimas e suas famílias.

Um ano após o rompimento, suas causas ainda não foram esclarecidas de forma conclusiva.

Como era esperado, as investigações levam um tempo considerável: muitos dados de diferentes fontes precisam ser compilados, apurados e analisados. Por esse motivo, as investigações oficiais continuam.

A TÜV SÜD reitera seu compromisso em ver os fatos sobre o rompimento da barragem esclarecidos. Por isso, continuamos oferecendo nossa cooperação às autoridades e instituições no Brasil e na Alemanha no contexto das investigações em andamento.

Enquanto os processos legais e oficiais ainda estiverem em curso, e até que se apurem as reais causas do acidente de forma conclusiva, a TÜV SÜD não poderá fornecer mais informações sobre o caso.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem