Sociedade

Aluna denuncia ter sido barrada em colégio militar devido ao cabelo: ‘Disse que precisava alisar’

A instituição alega ter normas de vestimenta conhecidas por todos

Menina fez relato a reportagem da TV Globo. Foto: Reprodução
Menina fez relato a reportagem da TV Globo. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

Uma estudante de 13 anos afirmou ter sofrido injúria racial ao ter a sua entrada barrada no Colégio Municipal Doutor João Paim, uma escola militar de São Sebastião do Passé, na Bahia, em 21 de março.

Em entrevista à TV Globo, Monique Tavares relatou que havia se esquecido, pela primeira vez, de prender o próprio cabelo em um coque e envolvê-lo com uma rede, conforme as regras do colégio.

Na entrada, o inspetor teria impedido a sua entrada e dito que o cabelo da menina não se enquadrava nas normas porque estava “inchado” e que era preciso “alisá-lo ainda mais”.

A mãe da aluna, Jaciara Tavares, declarou que a filha foi vítima de racismo e se dirigiu ao colégio para conversar com o inspetor. Por sua vez, o funcionário teria dito que também é negro.

Em nota, a instituição de ensino disse que a regra de vestimenta é de conhecimento de todas as famílias e alunos e que não foi a primeira vez que os funcionários chamaram a atenção da estudante para o penteado. Ela teria, segundo a escola, recebido um prazo para se adequar às exigências. Não há informações sobre medidas que o colégio tenha tomado em relação ao funcionário.

A Defensoria Pública disse ter oficiado o colégio para solicitar informações sobre o caso e questionar sobre a conduta da instituição em casos de racismo na escola.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.