Uso de máscara será obrigatório no Rio a partir do dia 23

Quem desobedecer a determinação não poderá usar o transporte público e estará sujeito a pagamento de multa

O uso de máscara havia sido adotado para evitar a contaminação pelo novo coronavírus Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O uso de máscara havia sido adotado para evitar a contaminação pelo novo coronavírus Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Saúde

A partir da próxima quinta-feira 23, o uso de máscara será obrigatório no Rio de Janeiro. O decreto do prefeito Marcelo Crivella obriga as pessoas que saírem às ruas e circularem nos estabelecimentos abertos ao público ou nos meios de transportes públicos ou privados da cidade a usarem o acessório.

O decreto foi publicado em uma edição extraordinária do Diário Oficial do Município no sábado 18. O uso das máscaras deve ocorrer também em locais como praias, lagoas e praças.

“É importante dizer que as máscaras que estamos tornando o uso obrigatório são as comuns, feitas em casa. As profissionais, conforme o Ministério da Saúde, vamos deixar para os profissionais da saúde. Se todo mundo for usar a máscara profissional, vai faltar para dentro do hospital. As que estamos pedindo para as pessoas usarem são as caseiras”, disse Crivella.

As pessoas que estiverem sem as máscaras poderão ser impedidas de usar o transporte público ou de entrar nos estabelecimentos autorizados a funcionar durante a pandemia do novo coronavírus. Quem desobedecer a determinação está sujeito a pagamento de multa.

“Nós estamos tomando medidas, sempre com muito equilíbrio consultando o Comitê Científico e nosso Gabinete de Crise”, disse o prefeito, acrescentando, que quando o uso se espalhar, o próprio cidadão vai alertar alguém que não estiver com a máscara.

A medida valerá por um período determinado até que comece a ter a reversão da curva de contaminação pelo novo coronavírus. O prefeito voltou a mostrar preocupação com o percentual de leitos ocupados no Rio. “Elas [as medidas adotadas] são paralelas à gravidade que observamos. Chegamos a um ponto de 86%, 87% de leitos de UTI no município preenchidos”, disse.

A prefeitura decidiu também distribuir, a partir desta segunda-feira 20, em estações do BRT, um milhão de um novo tipo de máscara biodegradável, feita de celulose e com design mais eficiente para evitar a contaminação do lado interno.

Outra medida da prefeitura será a instalação de cabines de desinfecção em pontos de maior circulação de pessoas como a Central do Brasil e estações do Metrô, barcas e BRT, além do Hospital de Campanha do Riocentro. A cabine tem um sensor que identifica a entrada da pessoa e no mesmo momento solta um pulverizador que faz a desinfecção.

Com informações da Agência Brasil

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem