Transmissão do vírus segue elevada e cenário é de alto risco, diz Fiocruz

12 estados apresentam taxas de ocupação de UTIs iguais ou superiores a 90%, alerta boletim da fundação

Foto: EBC

Foto: EBC

Saúde

Um novo boletim do Observatório Covid-19 da Fiocruz, divulgado nesta quarta-feira 9, alerta para o cenário de alto risco da pandemia no Brasil. O documento destaca uma pequena oscilação no número de casos nas últimas semanas, o que demonstra a continuidade na propagação do vírus.

 

 

O relatório ainda ressalta uma relativa estabilidade nas taxas de ocupação de leitos de UTI, mas ainda em níveis muito elevados na maioria dos estados e das capitais. ’20 estados e o Distrito Federal, bem como 17 capitais, encontram-se com taxas de ocupação iguais ou superiores a 80%”, aponta o documento.

Diante desse quadro, a recomendação é de ‘muita atenção e prudência’. O boletim aponta que seria prematuro indicar ‘uma queda sustentável de casos e óbitos’ ou a chegada de uma 3ª onda.

Na última semana epidemiológica, de 30 de maio a 5 de junho, foram registrados cerca de 62 mil casos diários da doença e 1,6 mil óbitos por Covid-19. O cenário, diz o boletim, continua a gerar fortes pressões sobre os sistemas de saúde.

12 estados apresentam taxas de ocupação de UTIs iguais ou superiores a 90%: Tocantins (94%), Maranhão (90%), Ceará (93%), Rio Grande do Norte (94%), Pernambuco (97%), Alagoas (91%), Sergipe (99%), Paraná (96%), Santa Catarina (97%), Mato Grosso do Sul (107%), Goiás (90%) e Distrito Federal (90%).

Taxas de ocupação acima dos 90% também são realidade em 12 capitais: Palmas (93%), São Luís (97%), Teresina (sem informação direta, mas com número estimado acima de 90%), Fortaleza (95%), Natal (93%), Maceió (90%), Aracaju (98%), Rio de Janeiro (92%), Curitiba (102%), Campo Grande (106%), Goiânia (91%) e Brasília (90%).

O relatório ainda reforça a importância de ações de enfrentamento à disseminação do vírus até que a maior parte da população esteja vacinada, como medidas não-farmacológicas (uso de máscaras e álcool em gel) e isolamento social.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem