Sputnik V apresenta eficácia de 91,6% contra sintomas da Covid-19

Resultados preliminares sobre a vacina russa foram publicados nesta terça-feira na revista científica The Lancet

A vacina Sputnik V Foto: AFP PHOTO/Russian Direct Investment Fund / Handout

A vacina Sputnik V Foto: AFP PHOTO/Russian Direct Investment Fund / Handout

Saúde

Resultados preliminares sobre a vacina Sputnik V publicados nesta terça-feira 2 na revista científica The Lancet apontam que o imunizante teve eficácia de 91.6% contra casos sintomáticos da Covid-19.

Já contra casos moderados e graves, a eficácia da vacina produzida pelo instituto russo de pesquisa Gamaleya foi de 100%.

 

 

A análise preliminar de dos dados da fase clínica 3 foi feita com resultados de 19.866 participantes. Desses, 14.964 tomaram a vacina e 4902 receberam placebo. Houve 16 casos de Covid entre os vacinados (0,1%) e 62 entre os não vacinados (1,3%).

Ainda no grupo, 21 dias após a aplicação da primeira dose, não houve registro de casos moderados ou graves da doença. Para os cientistas, isso equivale a dizer que a vacina teve 100% de eficácia contra a doença moderada ou grave. Entre os que receberam placebo houve registro de 20 casos.

A vacina também foi bem tolerada entre os idosos. Uma análise com 2144 adultos com mais de 60 anos mostrou eficácia de 91,8% no grupo.

Também não há registros de efeitos colaterais sérios associados ao imunizante, apenas sintomas como dor local após a aplicação, ou parecidos com os da gripe como fraqueza ou baixa energia.

O estudo ainda seguirá até chegar a um total de 40 mil participantes.

A Sputnik V é a quarta vacina a ter resultados publicados em uma revista depois de Pfizer/BioNTech,  Oxford/AstraZeneca e Moderna.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem