Saúde

Secretário-geral da ONU pede em Davos a vacinação de toda a população mundial

‘Se não conseguirmos reduzir a desigualdade, obstruiremos o progresso econômico de todas as pessoas em todos os países’, disse Guterres

Vacina contra a Covid reduz transmissão da doença. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Vacina contra a Covid reduz transmissão da doença. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu nesta segunda-feira (17) no Fórum Econômico Mundial virtual de Davos (Suíça) a vacinar toda a população contra a covid-19 para superar a pandemia.

“Os últimos dois anos demonstraram uma realidade simples, porém dura: se deixarmos alguém atrás, ficamos todos para trás”, destacou.

“Se não conseguirmos vacinar todas as pessoas, daremos lugar a novas variantes que vão se espalhar através das fronteiras e paralisar a vida cotidiana e as economias”, acrescentou Guterres.

“A Organização Mundial da Saúde divulgou uma estratégia para vacinar 40% das pessoas em todos os países no fim do ano passado e 70% em meados deste ano”, mas “estamos longe destes objetivos”, lamentou.

“As taxas de imunização nos países de alta renda são, vertiginosamente, sete vezes mais altas nos países africanos. Precisamos de equidade na questão de vacinas agora”, acrescentou.

O secretário-geral da ONU também exortou as principais potências a mostrar maior solidariedade econômica com os países em desenvolvimento.

“Falta solidariedade mundial”, afirmou. “Se não dermos alívio da dívida e financiamento aos países em desenvolvimento, criamos uma recuperação desequilibrada que pode derrubar uma economia global interconectada”.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.