Protocolo encomendado por Queiroga rejeita tratamento precoce para Covid-19

O relatório servirá como diretriz sobre o procedimento correto que médicos brasileiros devem seguir

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foto: Evaristo Sá/AFP

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foto: Evaristo Sá/AFP

Saúde

Um relatório com diretrizes para tratamento de pacientes com suspeita ou diagnóstico com Covid-19, encomendado pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não recomenda o uso do chamado tratamento precoce em nenhum estágio da doença. 

O documento, obtido pelo UOL, foi elaborado por um painel com mais de duas dezenas de especialistas ao longo de três meses, sob a supervisão da Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde), e tem como base análise criteriosa de estudos científicos e de diretrizes para tratamento da doença divulgadas por órgãos oficiais de outros países e por sociedades científicas do Brasil e do exterior.

 

 

O relatório servirá como diretriz sobre o procedimento correto que médicos brasileiros devem seguir para os pacientes diagnosticados com Covid-19 e será submetido à aprovação do plenário da Conitec.

O tratamento precoce é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro desde o começo da emergência sanitária causada pela Covid-19, mesmo após reiteradas pesquisas científicas não comprovando eficácia da técnica. 

O relatório de diretrizes buscou apurar a eficácia de medicamentos usados no “kit covid”. Nenhum deles cumpriu os requisitos para que fosse recomendado seu uso no tratamento de pacientes com suspeita ou diagnosticado com a doença.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem