Saúde

Injeção de Gel

Pesquisas para contraceptivo masculino avançam

por Deutsche Welle publicado 14/02/2017 00h02, última modificação 13/02/2017 14h55
Após experiências com coelhos e macacos, solução será testada em homens. Método é mais simples de ser revertido do que a vasectomia
Pixabay / CC0 Public Domain
Homens

A vantagem do gel é que o tratamento pode ser revertido de forma relativamente simples

Um novo contraceptivo para os homens foi aprovado nos testes em macacos, segundo um estudo publicado na terça-feira 7 na revista médica Basic and Clinical Andrology. Pesquisadores informaram que 16 macacos cujos dutos de esperma foram selados com o gel não se reproduziram num período de até dois anos de observação. Sem o gel, a taxa de gravidez das parceiras seria de 80%.

Até agora, homens não dispõem de muitas opções caso queiram usar um contraceptivo: preservativos são tidos por muitos como um método incômodo, o coito interrompido antes da ejaculação é considerado prática extremamente insegura e a esterilização por vasectomia, quando é feito o fechamento dos canais deferentes por cirurgia, é um método difícil e muitas vezes impossível de ser revertido.

O Vasalgel, desenvolvido por pesquisadores dos EUA, é um polímero que é injetado diretamente nos canais deferentes, bloqueando assim a passagem do esperma. A substância já tinha sido testada em coelhos, com resultados positivos. Os macacos rhesus, agora testados, são animais mais próximos dos humanos. Eles aparentam ter tolerado bem o gel, segundo os pesquisadores.

Macacos
No rhesus, reversão não foi testada (Ye Aung Thu/AFP)
A vantagem do gel é que o tratamento pode ser revertido de forma relativamente simples. Durante o teste com coelhos foi possível desfazer o bloqueio pelo polímero através de um solvente de bicarbonato de sódio. No macaco rhesus, o método de reversão ainda não foi testado.

 

 

De acordo com a Fundação Parsemus, uma organização sem fins lucrativos que financiou o desenvolvimento do novo anticoncepcional para homens, um teste clínico de Vasalgels com humanos já está em fase de planejamento.

Logo DW