Saúde

OMS diz que vacina para novo coronavírus deve demorar pelo menos 18 meses

A entidade voltou a reforçar a necessidade de isolamento social e de medidas de distanciamento para evitar a transmissão do vírus

Vacina (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil) Vacina (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Vacina (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil) Vacina (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Apoie Siga-nos no

Uma vacina contra o novo coronavírus pode demorar ainda 18 meses, apesar dos testes em andamento. Foi o que disse nesta sexta-feira 27 o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“Enquanto isso, reconhecemos que há uma necessidade urgente de terapêutica para tratar pacientes e salvar vidas”, disse o diretor. Tedros informou que um grupo de pacientes participará de uma pesquisa chamada de Estudo de Solidariedade, que vai comparar a segurança e a eficácia de quatro medicamentos diferentes ou combinações de medicamentos contra a Covid-19.

“Nós só estamos apenas começando a luta contra o coronavírus. Precisamos manter a calma, permanecer unidos e trabalhar juntos”, complementou Tedros.

O diretor insistiu para que pessoas não usem remédios que não tenham eficácia comprovada, diante dos riscos à saúde com esse comportamento. A entendida também ressaltou a importância de que países realizem testes para identificar casos, isolar os positivos e cuidar dos registros mais graves. “Muitos países mostram que o vírus pode ser controlado, com medidas agressivas nessa linha”, disse a entidade.

No Brasil, a Fiocruz vai coordenar no Brasil os esforços mundiais para investigar a eficácia de quatro tratamentos contra a covid-19, entre eles a cloroquina e a hidroxicloroquina, usadas contra a malária e que se mostraram promissoras em alguns testes iniciais.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.