Ministro da Saúde se reúne com defensores do uso de ozônio no reto contra a covid-19

Tratamento sem eficácia comprovada contra o coronavírus foi tema de reunião com Eduardo Pazuello

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, de camisa branca, tratou em reunião sobre a ozonioterapia como forma de combate a covid-19. Foto: Reprodução/Facebook

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, de camisa branca, tratou em reunião sobre a ozonioterapia como forma de combate a covid-19. Foto: Reprodução/Facebook

Política,Saúde

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, reuniu-se com defensores da aplicação de ozônio no ânus como forma de combate ao coronavírus, na segunda-feira 3. O modelo de tratamento foi sugerido pelo prefeito de Itajaí, em Santa Catarina, Volnei Morastoni (MDB), para auxiliar na prevenção da doença.

Segundo a agenda do Ministério da Saúde, o encontro ocorreu às 15 horas. Na ocasião, Pazuello recebeu a presidente da Sociedade Brasileira de Ozonioterapia Médica (Sobom), Maria Emília Serra Gadelha, e o deputado federal Giovani Cherini (PL-RS). Ambos publicaram sobre o encontro nas redes sociais.

Em 31 de julho, Maria Emília escreveu, em publicação nas redes sociais, que um paciente de covid-19 teve alta após tratamento com a aplicação de ozônio. No post, ela escreveu a hashtag “#ozonioterapianoSUS”.

“Paciente da UTI covid-19 do Hospital São Francisco de Assis, de Parobé, tratada com ozonioterapia tendo alta, mesmo com 80% de comprometimento pulmonar e 8 dias de intubação orotraqueal”, postou.

No dia da reunião com Pazuello, ela publicou uma foto e escreveu: “Brasília, em breve ozonizada!”. Nesta quarta-feira 5, ela afirmou que “uma insuflação retal de ozônio medicinal incomoda muita gente” e defendeu a aplicação no ânus como “uma das técnicas sistêmicas da ozonioterapia”.

Após o encontro, o deputado Giovani Cherini publicou fotos com o ministro interino e relatou ter apresentado um projeto em que defende o tratamento como forma de combate ao coronavírus.

“Apresentamos projeto de tratamento da ozonioterapia em pacientes com covid-19, e também projeto de pesquisa que teve sinal verde por parte do Ministério. Importante destacar que, com o nosso apoio, alguns hospitais do Rio Grande do Sul já estão implantando a ozonioterapia como opção de tratamento. Um deles é o do Hospital Vila Nova, de Porto Alegre”, disse o parlamentar.

Não há recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a ozonioterapia como forma de tratamento para a covid-19. O próprio Ministério da Saúde já reconheceu que “o efeito da ozonioterapia em humanos infectados por coronavírus (covid-19) é desconhecido e não deve ser recomendado como prática clínica ou fora do contexto de estudos clínicos”, segundo documento publicado em abril, antes da chegada de Pazuello ao comando da pasta.

O Ministério da Saúde define o tratamento da ozonioterapia como uma prática integrativa e complementar de baixo custo, que utiliza a aplicação de uma mistura dos gases oxigênio e ozônio, por diversas vias de administração, com finalidade terapêutica. De acordo com a pasta, alguns setores de saúde adotam regularmente essa prática em protocolos de atendimento, como a odontologia, a neurologia e a oncologia.

Conforme publicação na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a ozonioterapia foi reconhecida como tratamento complementar no Sistema Único de Saúde (SUS) em 2018, como recurso aplicado a doenças como câncer, inflamações crônicas e infecções variadas.

No entanto, após a medida, o Conselho Federal de Medicina (CFM) proibiu os médicos brasileiros de prescrever o uso do procedimento, com base no Código de Ética Médica, segundo nota pública de julho de 2018. A entidade reforça que há falta de reconhecimento científico e protestou contra a “alocação de recursos para práticas que não apresentam comprovações técnicas e científicas de sua eficácia”.

Embora a prática não tenha eficácia comprovada contra a covid-19, ela também é defendida para este fim em um projeto de lei apresentado em 1º de abril pela deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF). O PL 1383/2020 autoriza a prescrição da ozonioterapia como tratamento médico de caráter complementar para o coronavírus. Outro projeto de 2017 pede a permissão da prescrição da ozonioterapia em todo o país.

OZONIOTERAPIA NA SAÚDE ! Nesta tarde, em Brasília, realizamos mais uma reunião com o Ministro da Saúde, Eduardo…

Posted by Giovani Cherini on Monday, August 3, 2020

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem