Política

Ministério da Saúde incorpora vacina da dengue ao SUS

A imunização deve começar em fevereiro de 2024

A ministra da Saúde, Nísia Trindade. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, anunciou nesta quinta-feira 21 a incorporação da vacina da dengue ao Sistema Único de Saúde. A vacinação com o novo imunizante deve começar em fevereiro de 2024.

De acordo com o cronograma da pasta, o País receberá ao longo do ano que vem 6,2 milhões de doses do laboratório japonês fabricante da Qdenga, o Takeda Pharma.

Como o esquema de aplicação é de duas doses a cada três meses, inicialmente devem ser vacinadas apenas 3,1 milhões de pessoas.

A aprovação do registro da Qdenga pela Agência Nacional de Vigiliância Sanitária ocorreu em março deste ano. A Anvisa liberou o imunizante para pessoas entre 4 e 60 anos.

“Incorporamos a vacina da dengue ao SUS. O Brasil será o primeiro país com sistema universal como o nosso a dar acesso público a ela”, escreveu Nísia Trindade no X.

O novo imunizante é recomendado para pessoas que nunca contraíram a doença e para aquelas que já foram infectadas.

O anúncio ocorre em meio à possibilidade de aumento na transmissão do vírus, diante do agravamento das mudanças climáticas.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo