Ministério da Saúde firma contrato para mais 54 milhões de doses da Coronavac

Remessa se soma às 46 milhões de doses já contratadas com o Instituto Butantan

A vacina Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Foto: CARL DE SOUZA/AFP

A vacina Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Foto: CARL DE SOUZA/AFP

Saúde

O Ministério da Saúde e o Instituto Butantan assinaram contrato para obter mais 54 milhões de doses da Coronavac, segundo nota publicada pela pasta nesta terça-feira 19. Somadas a outras 46 milhões já contratadas, o governo prevê a distribuição de 100 milhões de doses da vacina pelo país até setembro.

 

 

 

Em nota, o Ministério diz que tinha a opção de comprar essa remessa até 30 de maio, mas preferiu adiantar a confirmação. As 46 milhões de doses anteriores já começaram a ser entregues em 18 de janeiro.

Além da Coronavac, o governo prevê a chegada de 42,5 milhões de doses de vacinas fornecidas pelo Consórcio Covax Facility. A Fundação Oswaldo Cruz também está encarregada de entregar 222,4 milhões da vacina de Oxford.

O Ministério diz ainda que deve assinar, nos próximos dias, contratos com a farmacêutica União Química para obter 10 milhões de doses da vacina russa Sputnik V, entre março e maio.

Está prevista para esta semana, também, a assinatura de contrato com o laboratório Precisa Medicamentos para a obtenção de 30 milhões de doses da vacina da Índia, a Covaxin.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem